sexta-feira, fevereiro 10, 2006

AFINAL A ESFINGE MANTÉM-SE NO PEDESTAL

Afinal, apesar de tanta retórica, tanta desilusão e muitas palavras esparsas, a Esfinge subiu ao poder. Com ou sem mérito, não interessa, pois foi uma maioria, embora tangencial, que a elegeu para tal pedestal. Goste-se ou não, teremos que a mirar e suportar durante cinco anos. Sinceramente até acredito, apesar de não vogar na sua onda, que possa desempenhar melhor papel que aquele que lhe vaticinam, pois a sua vivência de economista poderá servir para aconselhar um pouco a inexperiência, nesse sector, do Sr. Engenheiro. Aliás creio que se darão muito bem, pois outro interesse não haverá, apesar dos partidários do Professor não desejarem boa convivência inter pares.
Como se depreende, e concluíu, nem sempre as sondagens se enganam redondamente, pois tal vitória era vaticinada, havia muito tempo, apesar dos valores se terem progressivamente baixando, mas, como se viu, sem o efeito que muitos desejaríamos.
E agora, meus amigos? Nada de mal se passará, para além dos males de que o País sempre sofreu, por inabilidade dos nossos gestores políticos, que lá se vão revezando há cerca de 30 anos, sempre os mesmos, mais queda de cabelo, mais ou menos cãs e rugas. As latas são quase as mesmas daqueles idos de 75/76 e seguintes anos...todos bem sediados na vida, ricos à custa dos palermas que teimam reelegê-los, cada acto eleitoral que passe. Isto chama-se MASOQUISMO POPULAR. Mas, nós, os portugueses, sempre primamos pela continuidade da desgraça, desde que possamos fazer umas vénias e adular alguém que nos domina, calca e recalca!...Será ditosa ou inditosa sina? O futuro nos mostrará.

Sem comentários: